Transporte Público e a “Nova Mobilidade”

14/06/2019

A mobilidade urbana vem sendo transformada de forma rápida e significativa. Tal mudança ocorre em decorrência dos avanços tecnológicos liderados por startups (ex. Uber, 99, VIA…) e de gigantes da tecnologia (como Google, Amazon, Microsoft…) em conjunto fabricantes de automóveis tradicionais (Ford, GM, VW…) estão buscando novas soluções para mobilidade. Neste contexto cinco temas desempenhem um papel fundamental no futuro dos transportes: i) Veículos Autônomos; ii) Veículos conectados, sistemas de transporte e redes . Novas formas de conectividade oferecem o potencial para informações muito maiores em tempo real e off-line para o benefício daqueles que usam a rede e daqueles que são responsáveis ​​por sua operação e manutenção;  iii) Uso compartilhado . Esse pacote está no centro da evolução da criação de lugares e se relaciona especificamente aos modelos de propriedade de veículos, e até que ponto podemos estar preparados para nos mover em direção à mobilidade compartilhada e longe da propriedade de carros individuais.; iv) Veículos elétricos; v) Modelos de negócios inovadores . Esse elemento é fundamental para o custo – real e percebido – e a capacidade de criar mudanças que resistirão ao teste do tempo. Requer ação rápida e decisiva.

E qual o papel do Sistema de Transporte Público neste novo cenário? Atualmente, os serviços tradicionais de transporte público são responsáveis pela mobilidade urbana de alta capacidade, mas como a indústria pode sobreviver aos choques criados pelas perturbações da nova mobilidade?

O primeiro passo é que os serviços tradicionais de transportes públicos de alta capacidade introduzam o conceito de “inovação”, que não significa apenas inventar novas tecnologias, mas também criar novos valores para os clientes.

A tecnologia inovadora pode reinventar os níveis de serviço existentes no transporte público. Exemplos notáveis ​​disso é o novo serviço via aplicativo móvel criado pela empresa goiana HP Transportes denominado CityBus 2.0. com abordagem centrada no cliente, estas soluções serão a chave para a inovação no transporte público.

Em segundo lugar, os serviços tradicionais de transporte público devem continuar a aumentar seu próprio valor na sociedade. O transporte público de alta capacidade já oferece inúmeros benefícios às cidades, permitindo que um grande número de pessoas viaje com segurança, pontualidade, rapidez e economia. Ainda assim, essas vantagens são relativas, não absolutas. Em um ambiente em rápida mudança, os serviços tradicionais de transporte público devem trabalhar corajosamente para expandir seu valor social. Isto é, conseguir através de investimentos em infraestrutura e qualidade atrair aqueles que preferem utilizar o transporte individual, reduzindo assim o número de congestionamentos no ambiente urbano.

Por último, e o mais importante, os serviços tradicionais de transporte público devem considerar seriamente a transformação geral da rede, que precisa incluir os novos serviços de transporte. Tendo como objetivo crucial buscar o “Tempo de viagem total mais curto” considerando toda jornada do usuário, desde da saída de casa até o seu destino final.

Para atingir este objetivo, é imprescindível uma estreita colaboração entre os diversos operadores de mobilidade e as autoridades de transporte público tradicionais. Simplificando, não será somente com investimentos em infraestrutura viária e novas formas de financiamento mas sim através da inovação, criação de valor e a transformação do serviço os transportes públicos tradicionais de alta capacidade, irão fornecer mobilidade urbana de relevância neste novo cenário. Tal transformação é denominada de Mobilidade como serviço.

Nenhum Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *